da Perseverança

Li este texto no blog do Fr Amduscias: O Cavaleiro de Espadas, e não pude deixar de publicá-lo aqui:

“O Adepto que trilha a Senda caminha sobre o fio de uma navalha.”

Não pode precipitar-se a passos largos, pois o menor descuido é fatal. Igualmente, não pode caminhar de volta, uma vez que retroceder é loucura, e olhar para trás, impossível.

Assim como o curso de um rio, segue em direção ao Mar. E é assim,como um rio, e não como uma enxurrada violenta, que ele esculpe a montanha, em seu curso.

Aqueles que começam a enveredar-se pelos mistérios maiores devem ser capazes de atentar tanto para dentro de si, quanto para o Universo que os cerca. O ponto de equilíbrio é tão sutil quanto dificultoso de ser obtido, e uma das chaves para este é a PERSEVERANÇA.

perseverança é como uma planta: necessita de atenção e cuidados. Uma bela flor requer água e sol em quantidade exata; minerais e adubos de tempos em tempos; paciência e perseverança. Ora, todos estes processos só podem ser mantidos com dedicação e amor.

Da mesma forma, este processo pode ser observado em relação à Jornada. A cada ano que passa, vemos muitos que começam avidamente, cuidando de seus jardins e gritando aos quatro ventos quão belas serão suas flores. Mas aos poucos seu jardim é tomado pelo mato. As flores sequer estão em botões, e já não recebem mais água ou estão murchas pelo sol em demasia. Isso, quando não são sufocadas pelas ervas daninhas…

Querer ou planejar ter um jardim é simples. Montar jardins à esmo, sem nenhum planejamento é igualmente fácil. No primeiro caso, se não for executada, a idéia morre no projeto. No segundo, extingue-se pela falta de cuidado e dedicação.

Cada um de nós tem facilidades, habilidades, ou dons, que podem ser analisados através dos elementos. Alguns tem mais afinidade com o elemento água; outros, com a terra ou fogo. Em maior ou menor grau, portanto, todos nós enfrentamos dificuldades ao lidar com nossos elementos em carênciaO Adepto sabe disso, e ali embasado, busca o equilíbrio.

Pessoas aéreas concebem o mais belo jardim em minutos, mas não saem do projeto; os ígneos, não perdem tempo em iniciar dezenas de jardins ao mesmo tempo, porém nenhum é terminado – e por aí seguem os exemplos.

Quando nos empenhamos em algo com paciênciaperseverança eamor, somos capazes de transcender estas carências. Quando aceitamos os erros como parte do aprendizado, e as dificuldades como motivações, o resultado é certo: sucesso. Devemos sempre nos lembrar de que as melhores espadas são forjadas no calor do fogo, sob o peso de centenas de marteladas. Da mesma forma, a vida que não tem dificuldades é uma vida estagnada e sem valor.

Sempre que ouvimos a palavra DOR, lembramos de algo ruim. Mas isso só acontece por causa de uma visão simplista, característica do mundo ocidental. Nos esquecemos de olhar o outro lado da moeda… e assim, não percebemos que o crescimento é dor. Que o nossoprofessor não são os momentos de felicidade, mas sim os de dificuldade.

É somente através de práticas contínuas (e exaustivas) e da observação interior, que poderemos fazer nossa perseverança ter valor verdadeiro. E assim, através deste proceder, queaparentemente nos acorrenta, é que estaremos caminhando para uma verdadeira liberdade, e alçando vôos cada vez mais altos na direção do horizonte.

Os Três Iniciados – parte 3

Mabel Collins (Saint Peter Port, Guernsey, 9 de setembro de 1851 — Gloucester, 31 de março de 1927), foi uma mística britânica, conhecida sorbe suas obras sobre místicismo e dezenas de romances. Fez parte da Sociedade Teosófica, foi amiga e aprendiz de Helena Blavatsy.

Collins se formou jornalista e trabalhava como romancista. Era amiga e apoiadora de Blavatsky, sendo sua a casa onde esta morou durante algum tempo. Durante a 1ª Guerra Mundial escreveu o livro intitulado The Crucible (1915),  que ajudou a promover acontecimentos estranhos na Frente Ocidental. Ela citou um jovem oficial, dizendo: “Eu tinha as alucinações mais incríveis quando marchava à noite, então eu dormia, eu acho que todo mundo estava confuso sobre a estrada e ver as coisas… Eu vi todos os tipos de coisas, homens enormes.caminhando em minha direção e luzes e cadeiras e outras coisas na estrada”.  Continuar lendo

Os Três Iniciados – parte 2

Segue então a biografia relativa do segundo dos três iniciados, autores do livro O Caibalion:

Paul Foster Case ( 3 de Outubro de 1884 – 2 de Março de 1954), foi um ocultista americano do início do século XX, autor de vários livros sobre tarot e qabalah. Talvez suas maiores contribuições para o campo do ocultismo foram as lições que escreveu para os membros do B.O.T.A. (Builders of the Adytum – Construtores do Santuário). O conhecimento dado aos membros iniciados nos capítulos do B.O.T.A. são igualmetne profundos, embora a distribuição limitada o fez menos conhecido. Continuar lendo

Os Três Iniciados – parte 1

Inicio aqui uma série de postagens sobre Hermetismo, seus princípios e correlações, e nada melhor para isso do que começar falando sobre a figura dos 3 Iniciados, intitulados autores d‘O Caibalion, livro que contém a essência dos princípios herméticos tal como são conhecidos hoje.

Os 3 Iniciados eram, em verdade, 3 grandes estudiosos que se reuniram para perpetuar o conhecimento dos sábios do passado sob a luz dos novos tempos, trazendo assim para o público o conhecimento de forma mais acessível, em um único e relativamente pequeno livro, síntese de velhos tomos e preceitos que tem sua origem na aurora dos tempos. A cada semana apresentarei uma breve biografia de cada um desses Iniciados, algumas peculiaridades, sua relação e posição na história do ocultismo ocidental. Continuar lendo

Hermes e o Caibalion

Vê-se muito falar sobre tradição, preceitos e leis que regem a vida, o universo e tudo o mais, ainda mais quando olhamos a nosso redor: outdoors, placas, cores e sons, perfumes e devaneios de mercado que insistem em bombardear em toda temporada uma forma nova de dominação, combinação entre tendências mais ou menos esquecidas e manter os que estão acima cada vez mais alto.
O que muitos não imaginam, ou simplesmente ignoram é que existem constantes no mundo, sempre presentes em nosso meio, ao nosso redor e dentro de nós, e não se pode fugir a natura.
Continuar lendo

II Simpósio de Hermetismo – Programação

A Programação deste ano será composta de Palestras e Workshops com alguns dos mais importantes estudiosos de Hermetismo, Ordens Iniciáticas e Magia no Brasil.
Continuar lendo

II Simpósio Brasileiro de Hermetismo e Ciências Ocultas.

http://simposiohermetismo.com.br/

O Hermetismo abrange um conjunto de teorias e práticas conhecidas pela humanidade há milhares de anos. Primam por desvendar o que está além da ciência tradicional, procurando descortinar os segredos do universo e do ser humano. É um assunto que sempre intrigou diversos seres humanos, mas esteve sempre oculta ao debate científico.
Continuar lendo