Vlad Dracul

Vlad Dracul (1390? – 1447), era pai de Vlad, o Empalador (1430 – 1477), a pessoa identificada como o Drácula histórico. Era filho ilegítimo do Príncipe Mircea, regente de Wallachia, uma área na atual Romênia, ao sul dos Montes Cárpatos. Sua mãe poderia ter sido a Princesa Mara da familia Tomaj da Hungria. É possível que tenha passado boa parte de sua infância na corte de Sigismund I de Luxemburgo, o rei da Hungria, como prova de fidelidade da aliança de Mircea com Sigismund. Assim, Vlad poderia ter crescido em Buda e em alguns locais da Alemanha. Casou-se e teve um filho, também chamado Mircea.

Em 1430 Vlad apareceu na Transilvânia como um oficial encarregado de proteger a fronteira da Transilvânia com a Wallachia. Morou em Sighisoara, onde ao fim daquele ano nasceu seu segundo filho, Vlad (chamado mais tarde de Vlad, o Empalador). Logo após o nascimento da criança, tornou-se conhecido  que Sigismund tinha escolhido Vlad como seu candidato para governar a Wallachia. Vlad foi convidado a Nuremberg para ser investido na Ordem do Dragão (Sigismund tinha fundado a ordem em 1418), que tinha uma variedade de objetivos, entre os quais lutar contra o islamismo.

Agora com o título de príncipe da Wallachia, ele se habilitava ao trono. Criou por fim uma poderosa aliança ao se casar com Eupraxia, irmã do regente da Moldávia, como segunda esposa. Em 1436, assegurou finalmente o trono da Wallachia e no inverno de 1436-37 transferiu-se para Trigoviste, a capital da Wallachia. Teve mais três filhos: Radu, um segundo filho também chamado Vlad (comumente apresentado como Vlad, o Monge) e um terceiro filho chamado Mircea.

Em 1437, após a morte de Sigismund, Vlad Dracul assinou uma aliança com os turcos. Em março de 1442, permitiu que Mezid-Bey passasse através da Wallachia e atacasse a Transilvânia. Entretanto, o exército turco foi derrotado e o exército húngaro perseguiu Mezid-Bey através da Wallachia, destituindo Vlad Dracul do trono no processo. Ele se refugiou entre os turcos, com a ajuda dos quais retomou o trono no ano seguinte. Para assegurar o novo relacionamento, Vlad Dracul deicou dois de seus filhos, Vlad e Radu, nas mãos dos turcos. Em 1444, a Hungria se movimentou contra os turcos. Vlad Dracul, na tentativa de manter seu juramento ao sultão, mas também cônscio de suas obrigações para a comunidade cristã, enviou um pequeno contingente para ajudar as forças hungaras. Foram fragorosamente derrotados, no que Vlad Dracul e seu filho Mircea culparam John Hunyadi, o governador da Hungria. Em 1447 Hunyadi iniciou uma guerra contra Vlad. A batalha decisiva foi realizada perto de Trigoviste e como resultado Vlad foi morto e Mircea capturado pelos boiardos romenos (a elite governante), quando foi torturado e morto.

Fontes:

FLORESCU, Radu e McNALLY, Raymond T. Dracula: A Biography of Vlad the Impaler, 1413-1476. New York: Hawthorn Books, 1973, p. 29.

—. Dracula: Prince of Many Faces: His Life and Times. Boston, Little: Brown, 1989 p. 261.

McNALLY, Raynibd T. e FLORESCU, Radu. In Search of Dracula, 1972. Reimpressão: New York, Warner Paperback Library, 1973, p. 247.

TREPTOW, Kurt W. (ed.). Dracula: essays on the Life and Times of Vlad Tepes. New York, Columbia University Press, 1991. p. 336

Compilação: MELTON, J. Gordon, Enciclopédia dos Vampiros – Edição Compacta, 2008, São Paulo, M. Books do Brasil Ltda.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s