Hermes e o Caibalion

Vê-se muito falar sobre tradição, preceitos e leis que regem a vida, o universo e tudo o mais, ainda mais quando olhamos a nosso redor: outdoors, placas, cores e sons, perfumes e devaneios de mercado que insistem em bombardear em toda temporada uma forma nova de dominação, combinação entre tendências mais ou menos esquecidas e manter os que estão acima cada vez mais alto.
O que muitos não imaginam, ou simplesmente ignoram é que existem constantes no mundo, sempre presentes em nosso meio, ao nosso redor e dentro de nós, e não se pode fugir a natura.

Um exemplo claro disso tudo é a forma como as religiões do mundo evoluíram ao longo do tempo, emprestando e abstraindo Deuses e significados, muitos destes povos sequer se conheceram, mas havia constantes.

O Caibalion é uma obra das mais interessantes que já li, pois apesar de suas poucas páginas reúne em si uma coleção abrangente e profunda de conhecimento.

“O Caibalion (Kybalion) é um livro esotérico e ocultista sobre os Princípios Herméticos, foi publicado pela primeira vez em 1908 em inglês. O livro foi escrito por três indivíduos auto-intitulados Os Três Iniciados, e segundo eles contêm a essência dos ensinamentos de Hermes Trismegistus tal como ensinado nas escolas herméticas do Antigo Egito e da Grécia

O título Caibalion se refere a uma palavra hebraica que significa “Tradição ou preceito manifestado por um ente de cima” e compartilha a mesma raiz da palavra Qabala. Muitas das idéias apresentadas neste livro anteciparam conceitos relativamente modernos como a da Lei da Atração e do Movimento do Novo Pensamento”.

Os Três Iniciados apresentam o livro como uma ‘Chave Mestra para que o estudante possa abrir todas as portas internas que conduzem ao Templo do mistério cujos portais já entrou’ e atribuem a Hermes Trismegisto, o mensageiro dos deuses, e insistem que o conhecimento oculto sempre foi perpetrado por verdadeiros Iniciados, que apesar de poucos sempre estiveram aptos a manter a chama dos Preceitos Herméticos, mantendo-se como lâmpadas a iluminar o mundo profano: “Existiu sempre um punhado de homens para cuidar do altar da Verdade, em que mantiveram sempre acesa a Lâmpada Perpétua da Sabedoria. Estes homens dedicaram suas vidas a esse trabalho de amor que o poeta muito bem descreveu nestas linhas:

“Oh! Não deixeis apagar a chama! Mantida
De século em século
Nesta escura caverna,
Neste templo sagrado!
Sustentada por puros ministros do amor!
Não deixeis apagar esta divina chama!”

“Pregam também que estes poucos homens não se esqueceram das intenções originais de Hermes, que tratam da transmissão das palavras da verdade aos que estão preparados para recebê-la”.

Hermes Trismegisto (em latim: Hermes Trismegistus; em grego Ἑρμῆς ὁ Τρισμέγιστος, “Hermes, o três vezes grande”) é o nome dado pelos neoplatônicos, místicos e alquimistas ao deus egípcio Thoth (ou Tehuti), identificado com o deus grego Hermes. Ambos eram os deuses da escrita e da magia nas respectivas culturas.

Hermes ao mesmo tempo deus dos caminhos, dos viajantes e dos comerciantes era também deus dos ladrões e dos mentirosos, ao mesmo tempo em que como Thoth era também era considerado o deus Psicopompo, aquele encarregado de levar as almas para o mundo dos mortos. Diz a lenda também que foi este mesmo deus que, ao ver que a humanidade se esquecia de sua natureza divina reuniu todo o conhecimento em 78 lâminas e as deu ao homem, deixando que os realmente sábios encontrassem seu real significado e a considerassem mais do que um simples jogo. Assim surgia o tarot.

Da herança de Hermes, como apresentada no Caibalion estão os Princípios Herméticos, dos quais falarei futuramente, a citar:

I- O Princípio de Mentalismo.
II- O Princípio de Correspondência.
III- O Princípio de Vibração.
IV- O Princípio de Polaridade.
V- O Princípio de Ritmo.
VI- O Princípio de Causa e Efeito.
VII- O princípio de Gênero.

Apesar de apenas dar pinceladas sobre tantos assuntos inicio aqui as postagens como colunista do Portal Teoria da Conspiração, assuntos dos quais pretendo me ater no decorrer dos estudos e das postagens. Sinto-me honrado por esta oportunidade, nos veremos em breve no âmbito da Rosa Hermética.

“Os lábios da Sabedoria estão fechados, exceto aos ouvidos do Entendimento”.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Caibalion
http://pt.wikipedia.org/wiki/Hermes_Trismegisto
Três Iniciados, O Caibalion – Ed. Pensamento

Leia também:

O Sentido e o Sentir

Identidades e Máscaras

do Equilibrio

Anúncios

4 comentários sobre “Hermes e o Caibalion

  1. Este verdadeiramente é um livro que todo estudante deve ter em sua cabeceira de cama. São tratados herméticos moderníssimos e atuais, mesmo tendo sido escrito em época tão remota. “O todo é mente, o Universo é mental”, diz o Caibalion. A máxima é que tudo se realiza na mente do Todo e o Universo é a manifestação dessa realização.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s